Estudo prova que o conceito de beleza está no cérebro de quem vê

Sabe aquele velho ditado que nossas mães e avós costumam repetir “a beleza está nos olhos de que vê”? Pois um estudo recente realizado na cidade de Oslo na Noruega pretende corrigir esse ditado. O estudo afirma que o conceito de beleza está no cérebro de quem vê. Apesar de parecer um assunto bastante comum, vale lembrar que um tema similar caiu na redação do Enem alguns anos atrás.

A importância da redação do Enem e sua ligação com a beleza feminina e humana

A redação do Enem corresponde a 1000 pontos na prova, ou seja, a nota da redação do Enem pode ser o diferencial entre um aluno que é aprovado para cursar o curso que tanto deseja na universidade de sua preferência e um aluno que não conseguiu entrar para a universidade nem em segunda chamada.

A redação do Enem é muito temida por quem vai prestar o Enem pois, diferente das outras partes da prova, para as quais você pode estudar e se preparar, a redação do Enem não segue nenhum padrão de tema, é algo totalmente imprevisível e o candidato só tem conhecimento do tema da redação no momento da prova.

Tomar conhecimento do tema da redação do Enem apenas no momento da prova pode ser uma grande dificuldade, uma vez que esse tema pode ser algo que o candidato não conheça ou conheça muito pouco, o que acaba por comprometer o desenvolvimento da redação do Enem e a nota final do candidato.

Geralmente, o tema da redação do Enem é baseado em algum assunto recente, como o estudo que mencionamos no início, o qual provou que o conceito que temos de beleza tem relação com o nosso cérebro. Vamos conhecer um pouco mais sobre esse estudo, quem sabe ele não vem a ser o tema da próxima redação do Enem?

O estudo desenvolvido pela Universidade de Oslo na Noruega descobriu que os receptores opióides, os quais são os responsáveis pelas neurotransmissões que ocorrem em nosso sistema nervoso, possuem um importante papel em nossa percepção.

De acordo com esse estudo, esses receptores podem ser os responsáveis, por exemplo, por sentirmos atração por pessoas do sexo oposto. Esse estudo descobriu ainda que um mecanismo presente em nosso cérebro tem a função de moldar nosso comportamento social, recompensando nosso cérebro com sensações gratificantes por meio de estímulos.

Esse mesmo mecanismo é o responsável pela informação visual que temos das outras pessoas, especialmente do rosto, o que acaba tendo uma importância crucial na escolha de um parceiro, realizando as mesmas recompensas em nosso cérebro quando vemos alguém que esse mecanismo considera atraente.

Essa sensação gratificante, de recompensa é similar a que sentimos quando comemos algo que gostamos, praticamos alguma atividade física e até mesmo quando vemos dinheiro ou compramos alguma coisa que queremos muito.

Ou seja, com esse estudo, os cientistas descobriram que os receptores opióides possuem um papel de grande importância nas relações que desenvolvemos com outras pessoas, pois eles liberam um tipo de recompensa para nosso cérebro quando estamos nos relacionando com pessoas que esses receptores consideram atraentes.